Patissier-Chocolatier francês promove capacitação de doceiras do Clube de Mães

29 Jan, 2014

Patissier-Chocolatier francês promove capacitação de doceiras do Clube de Mães

O pâtissier-chocolatier francês Daniel Briand, (www.cafedanielbriand.com), realizou, nos dias 23 e 24 de janeiro, uma oficina de confeitaria no Clube de Mães Maria de Nazaré, na comunidade São Sebastião do Rio Cuieiras. 

O workshop foi voltado para a capacitação em técnicas clássicas de manipulação de geleias, biscoitos e chocolates com base em insumos amazônicos, com o intuito de aprimorar a qualidade dos produtos fabricados atualmente na comunidade.

Vivendo no Brasil há 18 anos, onde mantém um conceituado café e doceria, em Brasília, Daniel Briand ficou animado com a oportunidade de colaborar com o Projeto Eco Polos. “Fiquei muito contente com o convite e aceitei imediatamente. Estou tendo o prazer de conhecer a Amazônia através da culinária, dos doces, e espero poder contribuir com essa experiência”, afirma.

Para o confeiteiro, a troca de experiência proporcionada pela atividade foi enriquecedora tanto para as mulheres como para ele, que se disse impressionado com o trabalho desenvolvido nas comunidades.

“Essencialmente eu gosto muito dessa troca, vou aprender com elas e elas comigo. Tenho um longo caminho na confeitaria. Acredito que com a experiência que tenho, posso indicar coisas que elas possam fazer. Além disso, é interessante trabalhar com esses produtos que elas usam, tem coisas que eu não conhecia, e tiro o chapéu para o que elas conseguem fazer aqui, improvisando, em um lugar com tão pouca estrutura”, conta.

Atividade

No primeiro dia do evento, o chef trocou receitas com as mulheres das comunidades e testou alguns dos processos tradicionais da 2301_Daniel_e_grupoconfeitaria francesa com produtos como o cupuaçu e a castanha da Amazônia.

No caso do cupuaçu, foi preciso adaptar a receita francesa às técnicas desenvolvidas pelas próprias comunitárias e à realidade do local, onde, por exemplo, a energia elétrica é escassa.

Durante a atividade foi desenvolvida uma nova receita de cookie de castanha com gotas de chocolate, que passará a ser produzida pelo grupo de mulheres. Um biscoito com cumaru também foi testado e também muito apreciado pelos participantes.

No segundo dia do curso, o chef ensinou técnicas de manipulação de chocolate, para a fabricação de bombons com recheio de frutas regionais e castanha da Amazônia.

Final_grupo2As mulheres aprenderam a técnica conhecida como Temperagem, um processo de aquecimento e resfriamento do chocolate que permite que ele seja utilizado em doces, sem perder a textura.

No final do evento, as avaliações foram muito positivas, tanto por parte das mulheres que disseram que “Daniel não é muito  de querer aparecer, mas para nós, ele apareceu”, como por parte do chef: “É uma grande satisfação trabalhar com pessoas que sabem, entendem do assunto”. Cada participante levou para casa uma amostra do que foi produzido para degustar com sua família.

Daniel Briand

Daniel Briand nasceu na cidade de Angers, região central da França, e aprendeu com o pai, padeiro, os primeiros truques da profissão. Formado na França como patissier-chocolatier, exerceu a profissão em seu país natal, onde também coordenou oficinas com jovens da periferia sobre patisserie.

Em 1995, junto da esposa Luiza Venturelli, abriu o Café Daniel Briand, na Asa Norte em Brasília. Hoje o Café conta com 150 lugares e emprega 35 funcionários, quase todos capacitados pelo próprio Briand.

O cardápio é diversificado e inclui salgados, doces, sorvetes, pães e outras delicadezas. O café foi vencedor, durante nove anos consecutivos, do prêmio Veja Comer & Beber Brasília, como melhor Confeitaria e Café, e conquistou o prêmio Gula em 2008.

Clube de Mães Maria de Nazaré

Fundado em 1999, o Clube é formado por mulheres ribeirinhas, da comunidade Sebastião do Rio Cuieiras. A parceria do IPÊ com o grupo se dá pelo apoio em sua organização, produção e comercialização, por meio de oficinas de formação e assessoria em associativismo, agroecologia, aprimoramento e boas práticas na produção de doces. Além disso, o IPÊ apoiou o Clube de Mães com uma infraestrutura básica de produção, elaboração de uma logomarca de identificação do grupo e de materiais de divulgação.

Para a fabricação de doces, as matérias primas utilizadas são frutas regionais (cupuaçu, castanha, cubiu, araçá-boi, coco, abacaxi, tucumã) adquiridas nas comunidades da região e entre os produtores que participam do clube. Atualmente, a produção em pequena escala é comercializada nas comunidades, em visitas eventuais de turistas, feiras e eventos.

O projeto Sociobiodiversidade, que envolve a parceria com o Clube de Mães e agricultores, recebeu vários prêmios e reconhecimentos:

  •  Prêmio Professor Samuel Benchimol e Banco da Amazônia de Empreendedorismo Consciente (2010);
  •  Segundo lugar na etapa regional do Prêmio FINEP de tecnologia social (2012);
  •  Prêmio Caixa Melhores Práticas em Gestão Local (2013).
  •  Selecionada como Boa Prática em Educação Ambiental e Agricultura Familiar pelo Programa de Educação Ambiental e Agricultura Familiar (PEAAF)/MMA (2012);
  • Certificado como Tecnologia Social pela Fundação Banco do Brasil (2013).

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>